A combinação de terapias para a recuperação pós-AVC estão surgindo como uma nova abordagem para melhorar a reabilitação do AVC, incluindo a recuperação da independência funcional dos doentes.

Após o AVC, a área do cérebro afetada transforma-se num ambiente complexo, onde vários mecanismos são ativados. Esses mecanismos funcionam durante intervalos temporais ou fases distintas. A modulação desses complexos mecanismos em tempo oportuno facilita a reparação, bem como a criação e o reforço de conexões neurais vitais. Combinar diferentes princípios terapêuticos é de facto o próximo passo lógico para a recuperação pós-AVC. A abordagem típica dos estudos clínicos inclui um agente farmacológico combinado com tratamento de reabilitação. A reabilitação permanece essencial na gestão do AVC, tal como é destacado nas diretivas da AHA / ASA.

Combinação de tratamentos

A atuação precoce pós-AVC pode tornar o cérebro positivamente suscetível ao tratamento subsequente de reabilitação. Teoricamente, os médicos podem combinar qualquer tratamento primário com qualquer tratamento de consolidação. Tanto o tratamento primário (priming) quanto a consolidação podem beneficiar de um ambiente enriquecido, bem como da adição de neuromoduladores ou neuropotencializadores.

A lógica de combinar abordagens terapêuticas é potencializar os seus efeitos benéficos, bem como evitar efeitos neutralizantes ou até agravantes. Num artigo de 2017, Sommer & Schäbitz, propuseram a seguinte terminologia para classificar as terapias pós-AVC:

Uma terapia primária (priming), caracterizada pelos seus efeitos no aprimoramento dos processos de reparação natural e na recuperação espontânea, por meio de mecanismos como neurogénese, angiogénese e sinaptogénese.

Uma terapia de consolidação, que visa exercitar e treinar conexões recém-formadas, a fim de as estabilizar e fortalecer.

Ambiente enriquecido

Um ambiente enriquecido fornece estímulos ao paciente com AVC, através de atividades que podem ser físicas, sociais ou cognitivas. Esse ambiente enriquecido tem efeitos benéficos tanto na fase primária inicial quanto na fase de consolidação.

Os paradigmas de priming são um componente essencial na recuperação pós-AVC. A terapia primária permite que os processos de reparação do cérebro sejam maximizados durante esse período crítico de neuroplasticidade elevada.

Conceptualmente, uma terapia primária é seguida por uma abordagem consolidadora, com potencial sobreposição. São necessários projetos experimentais sofisticados para discriminar os efeitos distintos de cada terapia componente.

Os estudos clínicos em recuperação pós-AVC continuam a explorar como otimizar a eficácia da combinação de terapias.




Formulário de Contacto


Partilhar: